A mulher moderna é uma mulher "contaminada"


Para começar, saibamos que: mulher moderna = modernete, mulher que odeia o formato tradicional de família, se deixa levar por modismos nocivos à reputação dela própria (promiscuidade), tem círculo de amizades com outras mulheres também imorais, prega falsas liberdades sexuais que ela insiste em entender que são virtudes, acha opressão quaisquer atribuições como mãe de família e esposa, possui inclinações feministas, vê o homem como um simples macho utilitário, é adepta a relacionamentos abertos, é falsa e fingida com erros que comete (como traições), é manipuladora e grita aos quatro ventos que é "livre" e que não precisa de homem.

A declinação da eficácia e qualidade do processo de educação dado pelos pais "modernos" e da libertinagem sem freios fez com que as novas gerações de homens se tornassem mais molengas e sensíveis e mulheres se tornassem mais reveladoras de seus lados desprezíveis antes não notados.

Eu não apoio muito a conclusão de alguns especialistas em comportamento feminino que insistem na teoria de que mulheres SEMPRE tiveram seu lado obscuro, mas somente agora é que estão se revelando como são, por conta do avanço da tecnologia nos meios de comunicação, pela nova ordem nas interações sociais dentro de uma sociedade mais tolerante com ideologias cretinas. Porque? Um motivo é porque as pessoas, em épocas diferentes, tiveram comportamentos e influências diferentes umas das outras SIM. As influências e costumes são bem distintos de décadas para outras. Outro motivo é a involução causada pelas inversões de valores e forte e maciça campanha da mídia nojenta que vem ao longo dos últimos anos apelando de todas as formas para que sejam impostos estilos e filosofias de vida prejudiciais à sociedade moderna.

Vejam suas mães ou avós: elas NÃO se inspiraram em pr0stitut@s. Vejam casais de idosos que completam 40, 50 ou mais anos juntos: eles não foram "contaminados" pelo imediatismo e outras m3rdas que influenciaram na vida a dois (como relacionamentos "abertos", por exemplo). E tem gente que acha isso (a união de longa data) "opressor" para a mulher. Pois é. Quem acha isso são os vermes contaminadores sociais os quais me refiro em alguns de meus textos.

Então acredito muito que a "contaminação" da mulher moderna se deu muito mais pelo feminismo e cópia de comportamentos de outras mulheres indecentes e desorientadas achando correto isso, além do estilo de vida despreocupado em relação à própria reputação em sociedade. Não raro já estamos vendo mulheres se "orgulharem" de serem dadeiras e algumas até já se autodenominando pu7@s, assumindo tal rótulo. É o que vemos no caso da mulher que trai o parceiro e passa uma imagem de "poderosa" e feliz e também a de uma "vencedora" quando se separa dele. As mentes femininas mais vulneráveis, vendo este modelo de comportamento, passam então a acreditar que uma mulher destas é um modelo feminino a ser seguido e imitado. Porém os Homens passam a não mais aceitá-las pelas atitudes e pelo seu passado/ história que um dia ele fatalmente e certamente tomará conhecimento.

Mulheres modernas se influenciam fortemente umas pelas outras e as más companhias podem moldar a maior parte da personalidade de uma pessoa. Podemos observar a essência da competitividade quando notamos o simples fato de uma comprar um certo sapato e a outra querer saber onde foi comprado porque quer tê-lo também, por exemplo. Nenhuma quer ficar abaixo da outra. Nenhuma mulher quer ser a sombra de uma outra dentro da sociedade.

Em eras passadas as mulheres, quando começavam a se perceber mulheres, copiavam comportamentos e estilo de vida de suas mães: casar, ter filhos e ter um homem só dentro da relação. Atualmente elas se espelham em figuras vergonhosas de mídia e em outras mulheres do seu grupo social que as levam para a trilha ilusória do "ser livre" e "independente". V@dias, golpistas, interesseiras, infiéis, jogadoras, enfim, os piores tipos são formados nesta etapa de formação de personalidade.

Portanto é importante deixar bem claro que a culpa é das "maçãs podres". Que hoje são muitas infelizmente.

Feliz será aquela mulher que não se deixa "infecionar" pelos vírus ideológicos engenhosamente espalhados por manipulações sociais que objetivam tornarem-nas apenas um corpo descartável e nada mais.

3 comentários :

  1. Choque de gerações.. A minha geração de 64..foi instruída para ter família... Talvez das últimas.. Porque as gerações de agora não sei não os vejo com o sentido de terem familias... Vejo os mais preocupados em viver a vida... Não sei se isso são sinais de alguma coisa... Não sei

    carlos Ac liberal

    ResponderExcluir
  2. Concordo plenamente - infelizmente tudo isso faz parte dos Reflexos do avanço da NOVA ORDEM MUNDIAL - como foi dito, inversão total de valores, a destruição da familia entre outros lixos financiados pela corja maldita que esta no poder.
    Ao meu ver, o "lado obscuro" sempre existiu nas mulheres - porem em epocas passadas, como elas precisavam "seguir as tendencias de sua epoca" - a maioria optava pela "regra" para não se queimar - porem veemos claramente que muito a mesma geração, ja sofreu os reflexos das decadas seguintes, com traições gerando divorcios e tudo mais.
    Abençoado é aquela pessoa que DEUS felicita com alguem que ainda siga suas doutrinas!
    Estamos na reta final - os sinais sao mais que evidentes: a melhor coisa é entregar-se a CRISTO mais do que nunca e o que acontecer a mais - é lucro!

    ResponderExcluir
  3. Acredito que a mídia tem um papel muito significativo nos costumes de hoje(figuras públicas, novelas, músicas lixosetc) mas acredito que as famílias tem um poder maior, cabe a nós pais, professores, responsáveis por crianças continuarmos combatendo esse tipo de coisa, nem que isso nos cause segregação. As gerações futuras agradecem

    ResponderExcluir