RELATO: Caiu no jogo da sedução feminina e se envolveu com mulher casada que não era bem “assistida”

" "(...) Porque os lábios da mulher adúltera destilam favos de mel e as suas palavras são mais suaves que o azeite; (...) mas o fim dela é amargoso como o absinto, agudo, como a espada de dois gumes." (Provérbios 5:3-4).
Em momento algum da minha vida, achei que uma passagem bíblica me alertaria dos perigos e fariam tanto sentido na minha recente experiência que tive e gostaria de compartilhar.
Enquanto jovens (e solteiros sem compromisso algum), estamos com os hormônios à flor da pele e somos incentivados a aproveitar ao máximo da vida e digo no sentido da put4ri@ mesmo (e iremos negar tal fato ?), mas sempre nos ensinaram um tipo de mulher para não mexermos e nem ao menos chegar perto pois é sinônimo de perigo: A mulher casada.
Muitas das vezes, ligamos apenas o fato de o marido descobrir e cobrar satisfação conosco, e como muitos sabem, termina na morte do amante (sempre considerado o culpado e pela sua carência, o corn0 sempre aceita a mulher de volta). Mas com o relato que deixarei, mostrarei de um risco ignorado: A chaga emocional deixada pelo envolvimento com mulheres casadas.
Me lembro que no mês de junho, acordei em uma segunda-feira rotineira. No primeiro dia do mês, começou a trabalhar comigo uma garota de 22 anos, casada há 6 anos (pela idade, já se prevê a c4g@d4 que com certeza ela cometeria um dia) com a vida razoavelmente confortável e cursa faculdade.
Como é impossível não se conviver com as pessoas, começamos a conversar e criar certo grau de amizade. Porém, em seu diálogo corria palavras diferentes: "gato", "lindo","gatinho". Até aí, sempre achei que fosse apenas modos e manias femininas, até certo dia em sua segunda semana que ela brigou com o marido na frente do local de trabalho.
A partir da semana seguinte, ela começou demonstrar maior interesse por mim, deixando bilhetes em meu armário ou na gaveta de minha mesa. E quem disse que um jovem descabeçado não cederia à uma garota ruiva, de olhos verdes e corpo de modelo lhe dando moral e te elogiando constantemente ?
Já no primeiro mês dela, começamos a ficar muito próximos e os colegas já começavam com seus boatos. Mesmo assim, não me importava, pois nada que um ego inflado (o meu no caso, por estar sendo correspondido pela gatinha do serviço) ignore os alertas. Marcávamos encontros em meus dias de folga, visto ser fácil para mim, solteiro, abdicar do descanso para curtir momentos.
Ficávamos até dentro do local de trabalho em encontros casuais na cozinha, vestiários, no ponto de ônibus ao lado do serviço e convenhamos, mulheres adoram esta aventura de serem descobertas, já que quando a casa cai, quem se fod3 geralmente são os homens.
No início, meu medo era ser descoberto pelo marido, mas sabia que o mesmo era pau-mandado da mulher, esticava tapetes para ela passar e infelizmente, desprovido de beleza segundo os padrões que a sociedade instituiu aos homens, bem como ele confiava demais no jeito meigo de sua mulher ser, que se deixava enganar por ela e confiava demais nela.
Porém, caí em suas meiguices. Enquanto nosso caso se prolongava, as conversas giravam em torno de iniciarmos um relacionamento, bem como ela elogiava meus traços paternais dizendo que eu seria um ótimo pai, que nosso futuro seria feliz, palavras que infelizmente mexem com as pessoas.
Bem que me diziam que um homem apaixonado, é como uma criança com uma arma na mão: é avisado dos perigos, mas é teimoso demais para ouvir qualquer aviso.
Foram 4 meses de caso, até o dia que a casa caiu, como inevitavelmente seria. A gestora descobriu nosso caso e chamou junto não no intuito de dispensar-nos (visto poder optar por transferência de unidade), mas para pararmos com a brincadeira que muitos viam, mas que fingiam serem cegos.
Rompemos da pior forma: Com brigas e desentendimentos e adivinha quem saiu com culpa na história? Sim, EU… Engraçado, ela atribuiu seu erro de caráter apenas para mim.

Não nos conversamos mais, nem nos olhamos sequer. Pedi transferência de turno e falei toda a verdade à minha chefe sem rodeios.
Amigos, é de coração que lhes digo, não se iludam pela gatona de seu serviço/faculdade, pois além de sair prejudicados no quesito profissional/social, vocês carregarão feridas, pois as mulheres amam ver que mesmo casadas e ainda por cima quando seus maridos não dão mais aquela assistência (que elas dizem), inflar seus egos e sentirem que ainda seduzem e estão vivas.
Aconselho não aos vividos e experientes na vida (que dirão que é óbvio os riscos de se envolver com casadas), mas aos jovens que seguem a linha "pegue a todas e que se fod@", e mais ainda aos inexperientes com mulheres ( e olha que fui casado por uma vez e noivo por outra vez), pois se relerem o provérbio bíblico que citei no início do relato, saberão que Salomão, o homem mais sábio, tem razão.

Relato enviado por leitor

Nenhum comentário :

Postar um comentário