Letras de músicas populares modinhas que incentivam traições/ ser corno e pu7arias:







A decadência da música brasileira | por Alberto Santos
Já faz um tempinho que percebemos que, na mídia musical hoje em dia, qualquer imb3cil que se diz "inspirado" pode escrever letras de músicas. Cito isso porque antigamente somente os grandes compositores e autores de poemas é que conseguiam ter suas letras transformadas em melodias. Com a ideologia do "libera geral" e "mas isso é normal!" muitas bandas/ duplas sertanejas, funkeiros e outros estilos aproveitaram-se para "matar dois coelhos num tiro só":
1. Vender (e o pior é que tem quem compra certas m3rdas);
2. Incentivar a pu7aria, ridicularizar fatos de traições em relacionamentos, e outras atitudes que vemos no cotidiano da moderna sociedade, como por exemplo o fato de um homem achar normal que a namorada o traia, assim como ele mesmo pegar outras, trans@r casualmente e voltar com a ex; bebedeiras (vício de alcoolismo), usar um cantor nu dentro de uma banheira para "felicitar" uma das fãs presentes no show e a aceitação total de que se pode colocar qualquer b0sta na letra porque vai ser legal e o povão vai adorar o ritmo e comprar o CD.
Além das letras serem um verdadeiro lixo para os ouvidos, se pararmos para analisar a mensagem que a "música" quer passar...não temos uma boa notícia. Porque não há nenhuma mensagem e sim um monte de relato de c0rno, de pu7a que foi comida e agora quer se valorizar, de funkeiro que quer que a mina desça até o chão reb0lando a b*ndinha e c* aberto...e por aí vai...Em praticamente TODOS os shows que se dizem estilo sertanejos, por exemplo, as duplinhas de cantores (possivelmente traídos) que se juntaram começam a fazer sucesso com músicas de m3rda que relatam como um homem aceitou a traição e chora como um apegadinho imb3cil pela volta da ex.
Também temos aqueles que relatam o dia a dia do típico cafajeste que sai com todas e não assume nenhuma mulher. Estas são as que fazem mais sucesso entre as meninas. Muitas enlouquecem e, como amam o artista, passam a acreditar que a letra é o poema mais lindo do mundo, no entanto a letra está incitando ela fazer justamente o que uma pu7a faz. É claro que não estou aqui denunciando tais letras, afinal no BR até barulho do peido do cantor faz sucesso, mas é mais para vocês sentirem o quanto a cultura musical aqui está sendo cag@da e aproveitada para incentivar ainda mais se achar normal comportamentos como traições, meteç0es liberais, pegação de gente comprometida (tem uma que cita "vai namorar, bobo") e afins, que não contribuem em nada, muito pelo contrário.
Mas o pior de tudo isso nem são as letras lixosas e sim o quanto isso influencia as "fãs" de m3rdas deste calibre, pois além de aceitarem o que diz a melodia, vão lá e compram, muitas vezes porque acham que aquilo é orquestra para os ouvidos delas. Não comum em shows, o cara está no palco "letrando": vai, v@dia, vem v@dia...e as meninas ali no público adorando e inconscientemente obedecendo o cantor. Por outro lado tais músicas modinhas não vão muito longe.
Dificilmente você ouve uma música lixo que bombou anos atrás hoje na mídia geral. Porque? Porque fez "ferver" na época, quando todo mundo comentava e as gravadoras precisavam vender/ desovar logo. Foi bom enquanto durou nas paradas, mas m3rda não se imortaliza, não é lembrada.
Conheço cantores que formaram dupla no início dos anos 2000 e hoje são trabalhadores comuns. São os 15 minutos de fama. Que, cá pra nós, poderia ser bem melhor aproveitado e não tentando fazer sucesso com historinhas de c0rno, de pu7a arrependida ou de v@dias promíscuas que arreganham-se por completo em festas/ shows e bailes funk. Exemplos: http://musica.com.br/artistas/mc-byana/m/vem-putaria/letra.html e http://www.vagalume.com.br/joao-neto-frederico/nao-to-valendo-nada.html
Anexo. Colaboração: #Sir
Desde o lançamento de É o tchan, Boquinha da Garrafa e a Barata da Vizinha que as letras da música popular Brasileira entraram em decadência. 
Se o que fazia sucesso em 1996 era “segurar o tchan”, “descer na boquinha da garrafa” e dispensar uma barata assanhada da cama alheia, hoje é o “lepo lepo”, “eu como mesmo”, e “vai lá no escurinho pra ninguém desconfiar” que comandam as paradas de sucesso, e que sucesso!! 
Foi-se o Tempo em que as modas sertanejas por exemplo, cantava as proezas do homem original sertanejo, que quer contar que o cara mora no sítio ou veio da roça, hoje qualquer moleque que nunca segurou uma enxada, mas sabe tocar 6 cordas de violão faz sucesso como sertanejo.
Cantar e elaborar notas para uma bela história, um conto de amor e mesmo uma homenagem aos amigos é mesmo coisa do século passado, a grande moda agora é colocar a gostosona no centro das atenções, ser chifrado por ela, ir a uma festa encher a cara e pegar outra gostosa, isso no ritmo sertanejo. Categorizado por Sertanejo universitário. Aliás universitário é a modinha do momento para tudo. Se entramos no ritmo do funk, e o lermos, (sem o fundo musical) para um cego, ele dirá que é a descrição de um ato sexual...e possivelmente ele ficará fisicamente excitado. Imagine para homens que não são cegos e que tem suas partes tocadas e esfregadas durantes a dança desse tipo de música. Isso em local publico! – enquanto hoje uma menina de 8 anos, mais uma das "MC's" da vida canta que “é duro ser gostosa, ter uma bund@ como a minha não é pra qualquer uma”
Na forma como está, e do jeito como anda, logo mais falar de defecação não será mais tão repulsivo como se parece e será minunciosamente descrita na toada de um baixo bem afinado!
Em torno do ano de 1985 houve um movimento sobre uma novela em que tinha a letra Lança Perfume como tema e era a Rita Lee quem interpretava a tal letra polêmica. Muitos ficaram escandalizados por ela descrever uma cena tão particular, famílias inteiras proibiam seus filhos de ouvirem a tal música.
E hoje?? Porque ninguém mais se escandaliza quando ouve uma cria cantando “É o mc brinquedo,Tá mandando pras gostosas, Roça, roça o p3ru nela, que ela gosta”? 
E isso vende!! Quem compra?? Porque compra?? Qual será o futuro catastrófico para a nossa música? 
Parece que seremos mais eficientes na eliminação do que se tem por cultura Brasileira do que as músicas americanas que sempre estão nas rádios por aqui.

Nenhum comentário :

Postar um comentário