O ciclo de uma feminista: do descobrimento da personalidade até a solidão



Ela é uma mulher naturalmente chata, se acha "diferente" das outras mulheres, se acha superior, independente, pensa que não precisa se relacionar com nenhum homem porque isso a "atrapalharia" nos outros aspectos da sua vida e consequentemente afasta os homens do seu próprio círculo social.

Almeja os melhores homens, e esses, obviamente não a quer pois sabem com que tipo de mulher irão lidar, então obviamente escolhem outras parceiras, mais pacientes, mais bem amadas e livres de qualquer neurose feminista, que prega que a mulher é melhor ou maior que qualquer homem.

Pega ódio mortal de homens, pois vê as amigas e parentes mais próximas com namorados, maridos, noivos e ela não tem nenhum companheiro.

Entra em depressão, engorda, fica feia, começa a criar gatos, pois são a sua única companhia.

Ela pensa que qualquer homem que se aproxime dela irá assediá-la, mesmo ela não tendo nenhum atributo para isso. Qualquer abordagem ou conversa mais íntima, seja pessoalmente ou pela internet/ celular imagina que será "abusada" pelo homem.

Começa a apoiar manifestações doentias que defendem, por exemplo, que as cantadas masculinas são um violento assédio.

Ela pira. Sai para a rua para fazer manifestos com outras (e outros) imb3cis com os peit0s de fora.

Passa a tomar mais remédios. Não se depila. Fica ainda mais feia, perdendo totalmente sua feminilidade. Morre sozinha.

Identificou alguma amiga feminista?

2 comentários :

  1. Sou feminista. Tenho namorado. Sou feminina. Não tenho neuroses. E além de tudo, sou independente, e não me acho diferente e nem melhor que ninguém. Tenho um filho que crio de acordo com o que acho certo. E além de tudo, acho que não preciso de um homem, como também um homem não precisa de fato de uma mulher. Escolhi estar com meu namorado porque o amo, para construirmos uma vida juntos. Ele também tem algumas manias machistas, nem por isso vou me revoltar contra ele. Todo movimento radical é desnecessário. Não é porque luto por direitos de igualdade que mereço um esteriótipo cruel e preconceituoso como esse. Agora, acredito eu, que um homem com um preconceito tão arraigado como esse não pode ser feliz se consegue se preocupar tanto com tão pouco ao invés de cuidar da própria vida.

    Micaelly Paixão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal sua definição de dicionário sobre o feminismo, o feminismo nunca foi pela igualdade e nunca será, as próprias feministas acreditam q "homens não devem palpitar no movimento" mesmo q seja um problema q afete ambos os gêneros

      Excluir