Mulheres interesseiras: sem maiores pudores ao questionar um homem nos dias de hoje



Que em toda relação há algum certo tipo de interesse a maioria das pessoas admite. Mas quando se analisa um determinado perfil de mulher em tempos modernos, se pode perceber o quanto muitas estão tão desesperadas demonstrando isso de forma ainda mais escancarada.


As típicas primeiras perguntas feitas pelas mulheres notavelmente interesseiras, num primeiro contato com um homem, são:- trabalha com o que? - faz o que da vida? São perguntas disfarçadas para poder saber o máximo de dados do indivíduo logo na primeira abordagem, para não perderem tempo com um "zé mané" qualquer, que não terá condições de dar um presente bem vistoso no dia dos namorados ou na data de seu aniversário. Entre outros benefícios que estas querem receber, sem se preocupar com outros aspectos fundamentais em uma relação.


Este perfil é mais comum em mulheres que estão perto dos trinta anos ou já têm mais de trinta, pois nessa fase ela já viu a irmã, primas e amigas casarem ou terem filhos e se sentem encalhadas, na sanguinária obrigação de também se encaixarem com um "bom partido".


Conheço muitas que, perto dos trinta, não fazem mais questão de um bonitinho ou da idade delas, como exigiam antes. O que elas almejam são quarentões, cinquentões que já têm uma vida financeira feita e estável. Por isso descartam qualquer tipo de homem que seja diferente disso. Cheguei a saber casos de moças muito lindas e jovens aceitarem namorar (algumas até se casaram) com senhores de idade, já bem acabados de saúde, outros nem tanto, que eram seus chefes, supervisores das empresas que trabalhavam. E isso porquê haviam outros homens como opções, porém não tão bem sucedidos profissionalmente ou financeiramente.


Obviamente não é só o interesse financeiro. Sim, existem outros parâmetros a serem analisados, pois cada mulher tem um objetivo em um relacionamento com um homem. Mesmo que o indivíduo em questão não tenha ainda uma vida financeira estável, ele será analisado pelo poder que a família dele têm na sociedade. Ou até mesmo na área em que trabalha, se é promissora ou não, entre outras variantes.


O fato principal é que a mulher de hoje não esconde mais como antes seus interesses fúteis e até bizarros em uma relação. Ela quer conforto, fidelidade, estabilidade, um sujeito saudável no qual possa se sentir segura para ter filhos (esses sim o motivo pelo qual uma mulher ama algum ser humano), um lar e se possível luxo para morar bem, muitos bens para fazer inveja à amigas, parentes e várias outras vantagens. Mesmo que ela não tenha absolutamente nada a oferecer. Absolutamente nada.

Um comentário :

  1. Texto muito inteligente e esclarecedor, gostei!!!

    ResponderExcluir