A lamentável influência da TV nas mentes mais vulneráveis



Já se passaram alguns anos que o certo "padrão de qualidade" das emissoras de TV que são formadoras de opinião foi para o lixo. Não é preciso ficar vendo toda a programação da TV aberta, por exemplo, para identificar que acabaram-se as ideias realmente atrativas dos programas de auditório de antigamente, apresentadores que não sabemos em qual emissora estão, pois mudam igual jogadores de futebol, pseudo artistas que surgem (por falta de opções) depois de terem quinze minutos de fama e principalmente novelas.


Como as mulheres são bem mais emocionais e se deixam levar por historinhas de novelas, ás vezes até aplicando tristemente em suas vidas reais, os publicitários estão de olho há tempos nisso e se juntam a autores, roteiristas e diretores, para influenciar ainda mais traições, consumo de determinados tipos de roupas, comidas, etc. Isso sem contar as tramoias e ideias vingativas, feministas e diabólicas que estes inserem no contexto de cada capítulo.


O porque disso tudo? A grande maioria dos profissionais que fazem TV, principalmente autores de novela, por exemplo, são homossexuais (muitos não assumidos) que têm raiva de héteros e da imagem da família tradicional feliz e por isso estão procurando ultimamente inserir no contexto das histórias personagens gays e lésbicas para respingar e pregar nas mentes mais fracas que tudo o que era antes um tabu, hoje é para ser aceito.


Não me surpreendo mais que a homossexualidade esteja sendo pregada em praticamente todas as novelas meio que à força, para quebrar tabus e conservadores aceitarem, mas nada disso acrescenta para o telespectador, assim como modelos de enredo que incitam a violência, a ambição a qualquer custo e centralmente traições amorosas. As ideologias fabricadas para a ficção na TV atual aqui no Brasil incentivam sim à libertinagem e à promiscuidade desenfreada, principalmente da mulher. Não à toa você escuta quase que diariamente que a mulher está perdendo o seu valor.


Exagero chamar a programação televisiva atual de lixo? Nenhum.

Um comentário :

  1. É complicado não ter a desgraça eo aparelho em casa, e uma vez ele na sala, não liga-lo seria imbecilidade...
    Com essa introdução digo que a TV aberta em nada tem a acrescer para ninguém, alguns bradarão: Mas e os noticiários?? A informação??
    Tendenciosa, manipuladora, destorcida e vez por outra definitiva!
    Novelas, e programas (dominicais especialmente) a muito tempo vem fazendo parte do imaginário das pessoas (claro em sua maioria mulheres), pela tv tudo pare e fácil, tipo self-service.. Quem não esta atento ou se deixa levar, logo cai num rio de frustração, passa considerar que sua vida so sera feliz se ter o que a tal novelinha falou..
    Esse ataque desenfreado feminino também se deve a isso, minha vó dizia: -meninas não ligam pra meninos.
    A novela diz, meninas corram atrás do que "é seu"! E la se vai, mais uma briga de escola com meninas de 15anos..
    Lamentável!
    Crianças de 5anos que não deveriam saber o que é ter por ter, ja estão sendo treinada com espirito de consumo-descarte, mesmo com uma quantidade de brinquedos absurdas/ou ideal, ficam infelizes porque não tem o brinquedo da tal propaganda..
    Bons tempos aqueles que o reclame era a cada meia hora e trazia utilidades (domesticas, mecânicas, funcionais a homens e mulheres), hoje o "horário nobre" (nome devido ao numero de televisores ligados na mesma emissora) gera milhões em lixo.. Totalmente inútil!
    Passa duas cenas de comida cheia de aditivos nocivos.. E 3 de tênis pra vc correr.. Duas de cerveja com mulher gostosa (como se a mulher que bebe cerveja fosse assim) e duas com produto de limpeza pra facilitar a vida da dona de casa (que dona de casa?? Existe?)..
    Ta complicado.. E o YouTube agora, também faz comercial..
    O que da pra fazer? Desligar e ler um livro (desconhecido) de preferência!
    GPaula.

    ResponderExcluir